*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

terça-feira, 26 de abril de 2016

MIL-Notícias, Cabo Verde...

Número de mortos encontrados em posto militar em Cabo Verde sobe para 11

O número de mortos encontrados num posto militar na ilha cabo-verdiana de Santiago subiu de cinco para 11, depois de as autoridades policiais locais terem encontrado os corpos de mais seis soldados dentro de uma caserna.

Em declarações à agência Lusa, Francisco Gomes, comandante adjunto da esquadra da Polícia Nacional de São Domingos, a norte da cidade da Praia, os seis soldados foram encontrados mortos numa caserna militar do posto de vigia de Monte Txota, próximo do principal centro de telecomunicações do país.
Segundo Francisco Gomes, há ainda um soldado desaparecido.
Antes, o comandante da polícia tinha dito à Lusa que cinco pessoas, incluindo dois estrangeiros, foram encontradas mortas no posto militar de vigia do Monte Txota.
Francisco Gomes adiantou que os cinco corpos foram encontrados por volta das 11:00 de hoje (13:00 em Lisboa) no posto militar Monte Txota, a cerca de 45 minutos da capital cabo-verdiana.
Entre os mortos, contam-se dois civis estrangeiros - um cidadão espanhol e outro cuja nacionalidade está ainda por confirmar, um civil cabo-verdiano e dois militares daquele posto.
Segundo o responsável da polícia, as vítimas terão sido atingidas por disparos de AKM (versão da espingarda automática kalashnikov), arma usada pelas forças armadas de Cabo Verde.
No local, encontram-se elementos da Polícia Judiciária, Polícia Militar, Bombeiros e Polícia Nacional, que estão a investigar o que poderá estar na origem das mortes.
Uma testemunha ouvida pela agência Lusa e que não quis ser identificada, disse que na segunda-feira viu um carro com turistas a subir em direção ao local, o que não estranhou por se tratar de um local turístico.
A imprensa cabo-verdiana, citando fontes policiais, noticiou que a viatura em causa foi encontrada abandonada na zona da Cidadela, arredores da capital de Cabo Verde, tendo no interior uma arma AKM.
Diário Digital com Lusa

Sem comentários: