*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Pedido de Apoio para a Guiné-Bissau

O PROJETO POSSO EM PORTUGAL E NA GUINÉ-BISSAU surgiu da necessidade de desenvolver ações que fortalecessem a comunidade guineense, pois a Guiné-Bissau está a atravessar um período cíclico de conflitos político-militares, pobreza, escassez de recursos, desmotivação, frustração, etc. A nossa visão é a de criar nos destinatários a consciência de que têm que ser eles os agentes da mudança e transformação da sociedade. 
Este projeto tem como objetivo principal Promover e Valorizar o talento dos jovens guineenses através da Cultura para a mudança. Acreditamos que a Cultura é uma poderosa ferramenta de trabalho, principalmente no contexto da comunidade guineense pela sua diversidade étnica e tradições milenares. O foco nas associações juvenis pretende capacitar novos agentes de transformação da sociedade guineense, criar uma plataforma de cooperação entre projetos em Portugal e na Guiné-Bissau. Para alcançar o nosso objetivo, identificámos três áreas culturais a desenvolver: 
1) Teatro (ferramenta de reflexão e ponto de partida para a intervenção dos jovens nas suas comunidades); 2) Artes Plásticas (recurso já existente que iremos potenciar e profissionalizar, para que possam produzir de uma forma mais regular, com vista a obterem rendimentos); 
3) Língua Portuguesa (promoção do ensino, capacitação e formação). 
Este é um projeto da Associação Posso com os apoios do MIL, Fundação Gulbenkian, Câmara Municipal de Lisboa e Câmara Municipal do Barreiro. Pedimos o apoio de todas as organizações e personalidades na concretização deste projecto, dando o seu apoio em materiais ou financeiramente. 
O Presidente da Associação Posso e Coordenador do MIL – Guiné-Bissau 
Braima Cassamá 
O Presidente do MIL: Movimento Internacional Lusófono 
Renato Epifânio 
Caso queira colaborar, envie-nos um e-mail para: info@movimentolusofono.org

7 comentários:

Paulo Pereira disse...

Parabéns pelo projeto!

Jorge da Paz Rodrigues disse...

Congratulo-me com o projeto, que todos devemos apoiar, dentro das possibilidades de cada um, pois os jovens guineenses, das várias etnias e de norte a sul, bem precisam.

Porém, daquilo que sei e conheço da GB, onde estive há muitos anos, leva-me a sugerir que seja invertida a ordem das prioridades e que o ensino do Português passe para o 1º lugar.

Um abraço solidário,
JPR

antónio saias disse...

Boa iniciativa - que é preciso materializar

má época para lançamento da ideia - início de letargisa de Agosto

abraço - bom trabalho
Boas merecidas Férias

Mamadu Lamarana Bari disse...

Deixo registrado aqui como membro do MIL a minha incontida satisfação e rogo a DEUS que este apoio se realize com sucesso. Entretanto, registro a minha concordância com o Dr. Jorge Paz sobre a inversão da ordem da pauta de apoio. A Língua é que nos une e comunga para o mesmo objetivo. Tem-se dito que a nossa Língua nacional falada é criol, mas não devemos esquecer que a Língua Portuguesa esteve entre nós por mais de 5 século e ainda é um veículo da nossa identificação enquanto cidadãos da África Lusófona, ela portanto, é a nossa Língua mater falada e escrita nacional e internacionalmente. Não esqueçamos disso. A Guiné-Bissau como País é identificada como um dos falantes da Língua Portuguesa, portanto, membro da CPLP. O Potuguês é e será a nossa identidade na fala e na escrita com o exterior.

Saudações Fraternais
Mamadu Lamarana Bari

João Paulo disse...

Muito boa iniciativa! Meus Parabéns.

Manuel Peralta Godinho e Cunha disse...

Concordo com o Dr. Jorge da Paz Rodrigues: o ensino de português em primeiro lugar

Anónimo disse...

Muito obrigado a todos pelos comentários.
Estejam certos de que iremos absorver cada observação feita no sentido de melhor adequar o projeto.
Muito obrigado a todos, continuem a nos apoiar!