*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

domingo, 13 de maio de 2018

Macau - Professora portuguesa volta a vencer prémio para melhor projecto pedagógico




Pela segunda vez, Ana Cristina Paulo é distinguida com o Prémio para o Projecto Pedagógico entregue anualmente pela Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ). A docente portuguesa de Educação Física e Desporto na Escola Primária da Flora e na Escola Secundária de Gonzaga Gomes recebeu a classificação mais alta – “excelente” – com o projecto “A vivência das tradições portuguesas como forma de aprendizagem do Português como língua estrangeira”.

Já em 2016, Ana Cristina Paulo viu reconhecido o seu projecto “Ensino do Português pelo método do movimento” para crianças do ensino infantil que, na altura, explicou ao Ponto Final “ser o ensino da língua através de movimentos e através de canções, de coreografias, de jogos, todas as coisas que têm a ver com movimento. Acção não passiva, sem stress, sem obrigar e sem recurso à frustração”.

No mesmo ano, também a portuguesa Maria Emília Pedrosa foi agraciada com uma Menção Honrosa pelo projecto “Imprensa Portuguesa de Macau”, alusivo à disciplina de Imprensa em Língua Portuguesa que leccionava num curso técnico-profissional de Tradução na Escola Luso-Chinesa Técnico-Profissional.

Ana Cristina tem experiência pedagógica de mais de 25 anos como educadora de infância e professora de Educação Física, em Portugal e em Macau. Aqui, trabalhou na década de 1990 na Creche do Monte da Guia e, mais recentemente, no Jardim de Infância D. José da Costa Nunes e em diversas escolas luso-chinesas. Ana Cristina tem o curso de educadora de infância pela ESE Maria Ulrich, a licenciatura em Educação Física e Desporto pelo Instituto Politécnico de Macau, Pós-Graduação em Jogo e Desenvolvimento Infantil pela Faculdade de Motricidade Humana (FMH), em Portugal, e diversas especializações em natação, ginástica e hidroginástica.

O plano dos “Prémios para o Projecto Pedagógico”, implementado em 1996, inclui entre os vários objectivos incentivar o pessoal docente e as escolas a desenvolverem o currículo e os materiais pedagógicos, promover a investigação académica, explorar as modalidades de ensino inovadoras, melhorar as metodologias pedagógicas e aumentar a eficácia pedagógica. In “Ponto Final” - Macau

Sem comentários: