*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Cabo Verde – Vai iniciar-se a prospecção de água em Chã das Caldeiras na ilha do Fogo


São Filipe – Os materiais para equipamento do furo de prospecção de água para abastecer a população de Chã das Caldeiras já se encontram na ilha e com a sua implementação espera-se que a penúria de água fique resolvida até ao final de Março.

O edil de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes, disse à Inforpress que os equipamentos e materiais já estão na ilha, indicando que a sua implementação vai permitir resolver uma das grandes preocupações com a comunidade de Chã das Caldeiras e que se prende com o abastecimento de água.

O equipamento do furo de Chã das Caldeiras vai ser feito a 100 por cento (%) com recurso à energia renovável (sistema solar) com instalação de um pequeno parque fotovoltaico capaz de gerar energia para fazer a bombagem de água do furo e a sua elevação até um reservatório situado a menos de 500 metros do furo.

O equipamento deste furo enquadra-se no pacote de seis a serem equipados no quadro do projecto que conta com o financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), no valor de 100 mil contos, sendo que cinco vão ser equipados com energia convencional (três em São Filipe e dois nos Mosteiros) e o de Chã das Caldeiras com energia renovável.

O equipamento do furo de Chã enquadra-se no projecto OSRO “ajuda humanitária de urgência para restauração dos meios de existência e aumento da resiliência das famílias afectadas pela erupção vulcânica”, financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD)

O equipamento do furo de Chã das Caldeiras e o sistema de adução de água à população, a cargo da empresa Constur, está orçado em cerca de nove mil contos (8.925) e deverá ficar concluído no decurso de Março, resolvendo assim o problema de abastecimento de água à população de Chã de forma definitiva.

A materialização das acções do projecto OSRO termina a 31 de Março, conforme contractos de execução celebrados com várias empresas em meados de Novembro de 2017. In “Inforpress” – Cabo Verde

Sem comentários: