*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Moçambique e Índia pretendem cooperar na área da defesa

Moçambique e Índia pretendem cooperar na área da defesa


O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, declararam hoje a intenção dos dois países de cooperarem na área da defesa, principalmente na proteção marítima, noticiou a Agência de Informação de Moçambique (AIM).
"Temos imensos recursos nas nossas águas territoriais no Oceano Índico, que precisam de proteção, pelo que discutimos a possibilidade de cooperação na segurança marítima", afirmou Nyusi, falando em conferência de imprensa no final das conversações entre as delegações dos dois países, no âmbito da visita de trabalho que o chefe de Estado moçambicano realiza à Índia, desde terça-feira.
Segundo Nyusi, citado pela AIM, equipas técnicas do setor da defesa da Índia e de Moçambique vão reunir-se nos próximo dias, para discutirem pormenores da futura colaboração bilateral na área.
O Presidente moçambicano afirmou que os dois países gozam de excelentes relações políticas e diplomáticas e sentem agora que há condições para o alargamento e aprofundamento da cooperação bilateral.
"A experiência da Índia em todas as formas de agricultura, da agricultura familiar praticada pelos camponeses até à agricultura comercial, passando pela tecnologia nas sementes melhoradas até aos fertilizantes, são áreas que interessam a Moçambique", realçou Filipe Nyusi.
Por seu turno, o primeiro-ministro indiano salientou igualmente a vontade dos dois países de cooperarem no setor da defesa, destacando que grupos de trabalho de Moçambique e Índia vão reunir-se em breve para elaborarem em torno dos pormenores que vão nortear a colaboração na área da defesa.
"Acordámos que o próximo encontro da nossa equipa conjunta de trabalho na área da defesa vai reunir-se em breve", afirmou Rahendra Modi.
Modi sublinhou a aposta do seu país na cooperação com Moçambique, destacando que quase 25% do investimento indiano em África está concentrado em Moçambique, principalmente nos hidrocarbonetos, recursos minerais e infraestruturas.
No âmbito da visita de Filipe Nyusi, as delegações oficiais dos dois países assinaram hoje dois memorandos de entendimento para a cooperação na área do combate às mudanças climáticas.
Diário Digital com Lusa

Sem comentários: