*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Angola - Governo quer capacitar 50 mil professores do ensino primário até 2022

O Ministério da Educação apresentou ontem, 18, em Luanda, o Projecto de Capacitação de Professores Primários (CAPPRI), que vai formar, em quatro anos, cerca de 50 mil docentes, em todo o território nacional em diferentes fases de implementação



Orçado em mais de 219 milhões de kwanzas, o CAPPRI tem como objectivo principal preparar os professores para fazerem o seu trabalho de forma mais fácil, apelativa e inovadora, nas áreas de Leitura e Escrita, Matemática e Desporto, Arte e Cultura.

A ministra da Educação, Maria Cândida Pereira Teixeira, que procedeu ao lançamento do projecto, disse que, segundo estudos recentes, a percentagem de aproveitamento académico de alunos por províncias, municípios e escolas foi de 55 por cento e que o domínio de conteúdos por partes dos alunos foi de 50 por cento. Já a competência profissional dos professores foi de 49 por cento, de acordo com o mesmo estudo.

"Através da metodologia de (Ensinar a Ensinar) e com apoio de um guia pedagógico que complementa o programa de ensino primário, o CAPPRI introduz no dia-a-dia do professor uma nova metodologia de ensino que facilita a aprendizagem dos alunos, mas também motiva os docentes para o gosto de ensinar", referiu.

Este guia, diz a ministra, também aborda a importância do ensino de crianças com necessidades educativas especiais, inserindo-as no ensino normal.

De acordo com Maria Cândida Pereira Teixeira, a metodologia de "Ensinar a Ensinar" vai funcionar com métodos teóricos e práticos que serão leccionados por uma equipa de 38 pessoas que vão prestar total apoio ao projecto.

Entretanto, as equipas serão constituídas por sete coordenadores e 21 formadores que estarão distribuídos pelos sete municípios de Luanda.

"A partir de hoje, 19, inicia a formação em cada município, em dois períodos (manhã e tarde) e cada professor receberá aulas num período de 15 dias", disse a ministra.

Já Leonor Sá Machado, presidente da empresa responsável para execução do projecto, disse que se pretende formar cerca de 1300 professores por mês, nos sete municípios de Luanda, perfazendo um total de 5600 no ensino primário este ano.

"A partir do próximo ano será nas províncias de Luanda/Benguela e Huambo, em 2020 vamos envolver a província da Huíla e outras até complementarmos os 50 mil professores em 2022 ", salientou.

"Este projecto visa melhorar o desempenho de cada professor primário, a qualidade de metodologia do seu trabalho na sala de aula, o que, por sua vez, vai estimular o aluno a desenvolver melhor as suas capacidades, habilidades e valores, tornando assim o professor num modelo a seguir", garantiu.

De salientar que em 2016, o Ministério da Educação lançou o Projecto de Aprendizagem para Todos (PAT). A ministra da Educação, Maria Cândida Pereira Teixeira afirmou à imprensa que os dois projectos estão ligados apesar de terem financiamentos diferentes. Fernando Calueto – Angola in “Novo Jornal”

Sem comentários: