*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Cabo Verde - Voluntários do projecto “Literacia Literária e Cultural das ilhas de Açores” querem estabelecer paralelismo entre a literatura cabo-verdiana e dos Açores

Cidade da Praia – Uma equipa de quatro mulheres portuguesas do projecto “Literacia Literária e Cultural das ilhas de Açores” quer estabelecer paralelismo entre a literatura cabo-verdiana e dos Açores, afirmou a coordenadora, Graça Castanho.

“Somos um grupo de quatro pessoas, que veio numa atitude de dar aquilo que nós temos e de também adquirir experiencias com as outras pessoas, tivemos um grupo de alunos que se interessaram por esta vinda a Cabo Verde e durante uma semana vamos realizar tertúlias de poesias e sessões de terapia do riso”, explicou.

Em declarações à Inforpress, a coordenadora Graça Castanho afirmou que o objectivo do referido projecto visa promover a literatura dos Açores e de Cabo Verde, adoptando estratégias de promoção e declamação da poesia, através da terapia do riso.

“Estamos no processo de partilha na aprendizagem conjunta e isto faz todo o sentido porque o mesmo oceano que nos afasta é o mesmo que nos aproxima, por outro lado, a comunidade cabo-verdiana é muito extensa nos Açores como sendo uma comunidade de referência e muito bem integrada, daí o interesse de estabelecer esta parceria”, realçou.

No entender desta responsável, a terapia do riso tem implicações positivas na saúde, no sucesso escolar no equilíbrio emocional de cada pessoa, daí a necessidade de treinar as crianças a serem felizes.

Por outro lado, defendeu que é preciso também revitalizar o próprio conceito e práticas de felicidade e do riso, que, na sua opinião, devem ser vistos como direitos humanos.

“Já percebemos que as crianças dos meios mais desfavorecidos precisam muito de trabalhar a vertente da autoestima, do respeito e da dignidade por si mesmas, mas há um caminho muito fácil que promove este estado de espirito que queremos desenvolver, que é no âmbito da terapia do riso”, afirmou, declarando que durante o período que estiverem na cidade da Praia querem obter resultados práticos e que as coisas se efectivem.

Ainda de acordo com Graça Castanho, as acções desenvolvidas envolvem crianças, jovens adultos e idosos, da Praia, Assomada e Tarrafal.

“O que pretendemos é agarrar na poesia como forma de nos expressarmos e de levarmos depois todas essas situações para o contexto de riso numa linguagem diferente porque no fundo estamos a tentar cobrir as populações que mais sofrem com as dificuldades da vida”, disse, explicando que o projecto de literacia literária será depois complementado com outras expressões artísticas.

A equipa do projecto “Literacia Literária e Cultural das ilhas de Açores“ é composta por duas professoras e uma aluna da Universidade de Açores e uma assistente social.

As acções que tiveram início na passada sexta-feira 03, na biblioteca “Nha Balila” em Tira Chapéu, decorrem até ao dia 12 de Agosto. Zany Silva – Cabo Verde in “Inforpress”

Sem comentários: