*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Timor-Leste chama encarregados de Negócios da Austrália e EUA por causa de espionagem

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste, José Luís Guterres, disse ontem que vai chamar os encarregados de negócios das embaixadas da Austrália e dos Estados Unidos para pedir explicações sobre espionagem no sudeste asiático. 

"Nós, em função dos dados que temos, resolvemos chamar os encarregados de negócios das embaixadas dos Estados Unidos e da Austrália para pedirmos explicações sobre o que se passou", disse à agência Lusa o chefe da diplomacia timorense.

José Luís Guterres falava à Lusa antes de viajar para a Indonésia para participar no Fórum da Democracia em Bali, que vai contar também com a presença do primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, que se desloca quarta-feira para aquela ilha indonésia.

"Queremos reiterar que condenamos qualquer atividade ilegal e utilização indevida das sedes diplomáticas para fazer espionagem a quem quer que seja", afirmou José Luís Guterres.

A decisão do governo timorense foi tomada na sequência de um encontro realizado entre vários ministérios e os encarregados de negócios devem ser chamados nos próximos dias, acrescentou o chefe da diplomacia timorense.

No passado dia 30, um especialista australiano em informações afirmou, durante uma entrevista ao canal ABC, que a Austrália espiou em vários países da Ásia Pacífico para depois partilhar a informação obtida com os Estados Unidos.

A Austrália integra há décadas o acordo secreto dos "Five Eyes" (Cinco Olhos), ao qual pertencem os Estados Unidos, o Reino Unido, o Canadá e a Nova Zelândia para partilharem informação e evitar a espionagem entre eles.

"Nós temos uma experiência negativa com a própria Austrália. De maneira que esperamos que os Estados Unidos e a Austrália nunca mais usem meios ilegais para obter informação sobre os países", disse José Luís Guterres.
Timor-Leste acusou este ano formalmente as autoridades australianas de espionagem relacionada com o acesso a informações confidenciais sobre petróleo e gás no mar de Timor. 

Sem comentários: