*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Associação Empresarial de Portugal iniciou hoje 1.ª missão empresarial à Indonésia

A Associação Empresarial de Portugal (AEP) iniciou hoje a sua primeira missão empresarial à Indonésia, na qual participam seis empresas portuguesas das áreas da madeira, cerâmica, cortiça, gás, mármore e granito e ourivesaria e joalharia.
 
"Esta missão à Indonésia era muito desejada já há algum tempo. Vimos que o mercado da Indonésia, como quarto país mais populoso do mundo, devia apresentar perspetivas muito boas para as nossas empresas", disse a responsável pela área internacional da AEP, Maria Helena Ramos, em declarações à Lusa em Jacarta.

Na comitiva seguem responsáveis das empresas Vicaima, Cifial, Amorim Cork Composites, Luís Amorim Unipessoal e Alexandrino Pais Leitão, enquanto a representante da Topázio realiza a viagem numa data posterior devido a incompatibilidades de agenda.

Os trabalhos iniciam-se com uma apresentação do mercado, seguida de visitas a pontos de venda relacionados com os produtos das empresas na comitiva e de três dias de reuniões diretas entre os empresários portugueses e representantes de 40 empresas indonésias.

Na agenda está ainda incluída uma reunião entre a AEP e a Câmara de Comércio e Indústria da Indonésia e um encontro da comitiva com o embaixador português em Jacarta, Joaquim Moreira de Lemos.

A missão é organizada em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Indonésia e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e conta ainda com a colaboração de uma consultora indonésia privada.
"Apostamos muito nas parcerias locais e conseguimos arranjar um parceiro local privado que está a apoiar-nos no desenvolvimento de contactos, porque as nossas ações estão focalizadas numa perspetiva muito comercial", justificou Maria Helena Ramos.

Embora reconheça que "a Indonésia é um mercado com alguma distância" e que esta primeira missão é "exploratória", Maria Helena Ramos destaca que as seis empresas já têm experiência na exportação e estão disponíveis para iniciar negócios com empresas dos setores público ou privado no curto prazo. 

A visita realiza-se no âmbito do plano de promoção externa 'Business On The Way 2013' da AEP, que "está muito direcionado para os mercados extracomunitários" e que conta com apoios do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), segundo a mesma responsável.
Apesar dos receios quanto ao desempenho das economias emergentes e da queda da rúpia indonésia, acompanhada de inflação e de uma diminuição do otimismo, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) prevê que a maior economia do Sudeste Asiático cresça em média 6% entre 2014 e 2018.

A Indonésia tem uma população de cerca de 245 milhões e é um país rico em recursos naturais, como gás e petróleo, sendo um dos principais fornecedores mundiais de borracha, cacau, café e óleo de palma.

@SAPO Timor-Leste

Sem comentários: