*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Museu português reaberto em Malaca no fim de semana dedicado a São Pedro

O museu no bairro português de Malaca, na Malásia, reabriu hoje ao público, por ocasião das festas de São Pedro, embora as obras de reparação não estejam totalmente concluídas, disse à Lusa o secretário-geral do comité, Richard Hendricks.
"Estamos a celebrar a nossa festa de São Pedro entre 28 e 30 de junho e esperamos atrair turistas para o museu", afirmou o secretário-geral do Portuguese Settlement Committee.
Encerrado desde o final do ano passado, aquando da passagem à reforma do antigo encarregado do museu, Edgar Overee, o espaço reabre agora "mais limpo, mais bem organizado e com mais objetos expostos".
"Vamos estar a projetar a cultura portuguesa e euro-asiática de Malaca, as suas ações e estilos de vida, desde a chegada dos portugueses, em 1511. O povo Kristang em Malaca é único e rico na sua cultura, o que significa que temos muito para oferecer aos locais e estrangeiros", descreveu.
Richard Hendricks adiantou que o museu ainda requer algumas obras de renovação, como a instalação de ar condicionado, de forma a possibilitar a projeção de diapositivos, entre outras atividades, e torná-lo mais atrativo para os turistas, mas que o espaço já está disponível para consulta por parte dos alunos.
O museu, esclareceu o secretário-geral do Portuguese Settlement Committee, foi iniciado pelo regedor Peter Gomes há cinco anos, tendo sido estabelecido com fins académicos, para apoiar os "programas étnicos para os estudantes em toda a Malásia".
"Chegavam grupos com até 80 estudantes, por isso precisávamos de um local para lhes dar apoio. Um membro sénior do 'Portuguese Settlement Panel', o sr. Edgar Overee, assumiu a tarefa de atender estes estudantes. O museu foi então criado e foram dispostos elementos sobretudo a pensar nas necessidades dos estudantes", acrescentou.
Agora com mais itens expostos - incluindo peças em barro e artigos têxteis - o espaço museológico tem por objetivo atrair mais turistas.
"Depois de muitas discussões levadas a cabo (...) estamos a melhorar o museu para disponibilizar informações sobre os grupos étnicos, mas também para os turistas. O PERZIM - órgão governamental ligado ao museu - está a renovar o espaço, vai colocar ares condicionados e estantes. E continuamos à procura de mais elementos relacionados com a presença portuguesa para mostrar", acrescentou.
As autoridades locais contrataram entretanto um novo encarregado - Jerry Alcantra - para gerir o museu.
As festividades em homenagem a São Pedro prolongam-se numa série de iniciativas oficiais e cerimónias religiosas, durante todo o fim de semana.

Sem comentários: