*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

sábado, 13 de janeiro de 2018

Guiné-Bissau - Diagnóstico de tuberculose com maior precisão e rapidez


Bissau - Mais de 20 técnicos nacionais do hospital “Raoul Follereau”, principal centro de tratamento da tuberculose da Guiné-Bissau, estão a ser capacitados sobre novos aparelhos de diagnósticos da doença, informou a Rádio Jovem.

O novo equipamento instalado no hospital irá permitir aos profissionais de laboratório fazer teste rápido para diagnóstico de tuberculose com capacidade de detectar a presença do bacilo causador da doença em 80 minutos, segundo a indicação do técnico que está a ministrar a formação.

Segundo Mamadu Saliu Sanhá, representante da “Ahead”, a ONG que gere o hospital “Raoul Follereau”, com a implantação desta nova tecnologia, conhecido por “Gene Xpert”, o diagnóstico da tuberculose será mais eficiente.

“Podemos dizer que é uma tecnologia altamente avançada, sobretudo em África, porque poucos hospitais têm estes aparelhos que podem testar os bacilos causadores da doença. Por isso, esta tecnologia é muito importante para testar os pacientes com a tuberculose. Anteriormente tínhamos muitas dificuldades, mas agora utilizando estes aparelhos da última geração, o diagnóstico vai ser muito eficiente”, explicou Saliu Sanhá.

A ação de formação destinada aos profissionais do laboratório do principal centro de tratamento da tuberculose do país está a ser ministrado por um biólogo italiano e especialista em microbiologia, Renzo Cristofoli.

Durante cinco dias, o biólogo italiano, para além de capacitar os profissionais da saúde, vai ainda capacitar os utilizadores destes novos aparelhos na forma de interpretar com precisão todos os dados obtidos, através desse aparelho de nova tecnologia que está copulada a um sistema informativo.

Em declarações à imprensa, Renzo Cristofoli, realçou as vantagens dessas tecnologias, mas salientou que o fundamental é ter capacidade para utilizar os aparelhos.

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que afecta principalmente os pulmões. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa e é propagada pelo ar. Um doente, sem tratamento, pode infectar entre 10 a 15 pessoas por ano.

Segundo especialistas da saúde, o aumento do consumo de bebidas alcoólicas e do tabaco associado à fraca alimentação são também outros dos factores para este recrescimento da doença.

A Organização Não Governamental Italiana, Ajuda a Saúde e Desenvolvimento (AHEAD), que assumiu administração do hospital “Raoul Follereau”, tem estado a investir muitos recursos financeiros na assistência aos doentes de tuberculose internados. In “Agência de Notícias da Guiné” com “Rádio Jovem”

Sem comentários: