*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

domingo, 3 de abril de 2016

BANCO COOPERATIVO DE DESENVOLVIMENTO LUSÓFONO

Temos necessidade, urgente, em restaurar o “Espírito da nossa Ordem de Cristo” e conforme afirmámos, esse mesmo “Espírito” deverá ser materializado num movimento cívico e patriótico onde os respetivos militantes se sintam como “soldados” na defesa do futuro da Pátria Portuguesa consubstanciado num grande projeto para o desenvolvimento presente e futuro de Portugal.

De facto toda a conversa que envolve o “pseudo europeísmo” e a chamada globalização mundial” na verdade apenas tem vindo a servir os interesses mesquinhos e egoísticos de alguns indivíduos ou grupos organizados situados dentro e fora do país na prossecução dos seus projetos obscuros de domínio e exploração das riquezas e recursos das nações mais fracas e deles dependentes! De facto e em relação a Portugal temos uma nova versão do “Quinto Império” para o Século XXI e aqui convém ressaltar a importância atual da “Plataforma Continental Portuguesa” evitando-se a todo o custo que a mesma se venha a transformar num novo “mapa-cor-de-rosa ”e sujeito à cobiça doutras nações!

Torna-se evidente a necessidade de nós, Portugueses passarmos a ter uma nova tomada de consciência clara e objetiva de que não só somos europeus, mas igualmente “atlânticos” e que a nossa identidade se projeta por todo o “espaço lusófono” compreendido pela Língua Portuguesa, o qual se estende por todas as pelas diferentes regiões do mundo e confirmando-se a sua realidade histórica conforme o Pensamento de Fernando Pessoa “de que falta Cumprir-se Portugal”.


 Os Portugueses na sua generalidade terão de tomar consciência sobre o que são na realidade no contexto geral da Humanidade. Não somos um povo qualquer, pois na verdade e historicamente continuamos a ser portadores de uma profunda e grande responsabilidade na condução presente e futura da vida de todos os seres humanos viventes neste planeta. É chegada a hora para que nós portugueses tenhamos consciência das responsabilidades que nos cabe a cada um de nós! Muito se tem falado sobre a Lusofonia, mas afinal o que é a Lusofonia? Esta terá de começar a ser materializada em mais atos e menos palavras. Vamos dar um exemplo: Se a memória não nos falha o MIL- Movimento Internacional Lusófono em tempos ainda recentes veio a defender a criação de um Banco de Desenvolvimento que seria extensivo a todo o espaço da Lusofonia e aparentemente essa excelente ideia nunca veio a ser realizada.

No imenso espaço que compreende a fala da língua portuguesa e aqui estamos com Fernando Pessoa quando afirmava que “ A minha Pátria é a Língua Portuguesa”.

Num espaço planetário onde existem mais de 200 milhões falantes da Língua Portuguesa, na verdade trata-se verdadeiramente de um Quinto Império Mundial. Neste primeiro exemplo apresenta-se como um provável cenário a criação do tal Banco de Desenvolvimento que poderia ser designado por Banco Cooperativo de Desenvolvimento Lusófono – BCDL, extensivo a todos os países de expressão oficial portuguesa, o qual de uma forma objetiva e coordenada poderia ser materializado através do antigo BES agora Novo Banco sendo aproveitada a sua importante e qualificada estrutura laboral e técnica representada pelo conjunto dos seus competentes trabalhadores. O BES, agora NOVO BANCO dispõe de uma importante, estratégica e numerosa rede de balções poderia ser adaptado a uma nova unidade bancária que teria uma implementação nacional e internacional, cobrindo sempre todo o espaço lusófono e contribuindo de forma objetiva e determinante para todos os países da CPLP e estendendo a sua influência a outras países da Ásia e de África marcados pelas históricas presenças e influências de Portugal!

Jacinto Alves

Sem comentários: