*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Um Paradigma de Cidadã, Uma Juíza de Coragem

ELIANA CALMON

José Jorge Peralta

(...) O sistema judiciário, o terceiro pilar da civilização, deveria ser incorruptível. Em muitos casos, é corrupto, como os outros, deixando a sociedade desguarnecida.
As autoridades não podem deixar prosperar a desordem numa área essencial do país.
O sistema jurídico, até agora, era o único espaço temido de que ninguém falava, por temor. Temido mas não impune às maracutaias. É um sistema hermeticamente fechado aos mortais. Mas nem por isso menos sujeito à corrupção.
Em tudo precisa haver transparência, ao se tratar da coisa pública. Os juízes desonestos desonram a toga e devem pagar pelos próprios erros, como o cidadão comum, sem condescendência, sem negligência e sem leniência.
Um juiz desonesto compromete a honra do judiciário. E se forem 20,30, ou 50, ou 100 ?!

Para punir os desmandos dos juízes, e preservar a dignidade, foi implantada, em 2005, a Corregedoria Nacional de Justiça – CNJ, ligada ao STF – Supremo Tribunal Federal. A CNJ está prevista na Constituição de 1988, (Art. 103-B)

3. A Corregedora do CNJ, Eliana Calmon, uma mulher forte e bem preparada, enfrentou a corrupção no judiciário. Fez a CNJ cumprir seu dever de punir os juízes corruptos. Quis recuperar a honra da magistratura. Isto é patriotismo.
O CNJ tem em andamento, segundo a imprensa, 65 investigações, algumas já com resultados drásticos para alguns dos corruptos togados.
Menos corrupção, mais justiça. Todo o juiz sensato deveria aplaudir, de pé. Uma maçã podre apodrece toda a cesta de maçãs.

Alguns pensaram que a CNJ fosse apenas mais um cabide de emprego. Enganaram-se e se assustaram.
A CNJ funciona de verdade e lavra a sentença que o corrupto merece. A corporis reagiu feroz?! Pior para eles...
Armou-se um movimento para reduzir-lhes as funções e área de atuação. Querem cortar-lhe as pernas.
Eliana, corajosa, saiu em defesa da justiça, com uma frase contundente que, se não fosse verdadeira, não seria dita:
A redução dos poderes da CNJ “é um caminho para a impunidade da magistratura, que tem infiltração de bandidos atrás da toga”.

Toda a gente sabe que ela sabe muito bem o que diz. Diz e pode provar. Os fatos o comprovam.
Apesar disto, o Presidente do STF, Antônio Cézar Peluso, leu uma manifestação de repúdio à corajosa juíza (?!), onde declarou:
“A CNJ repudia veementemente acusações levianas.
que lançam dúvidas sobre a honra dos juízes”.

Em vez de a homenagear tenta humilhá-la. Atitude assustadora.
Em vez de zelar pela defesa da juíza, repudiou sua ação. É como se o médico, em vez de cuidar das pessoas, quebrasse o termômetro, porque denunciou a febre do doente... Para saber mais, clique:
http://tribunalusofona.blogspot.com/2011/10/eliana-calmon.html

Sem comentários: