*É um Lusófono com L grande? Então adira ao MIL: vamos criar a Comunidade Lusófona!*
BLOGUE DO MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO

Participe também nas nossas páginas "facebook":

http://www.facebook.com/groups/2391543356/
http://www.facebook.com/groups/168284006566849/

E veja os nossos vídeos:
http://www.youtube.com/movimentolusofono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 40 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.

SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa)
NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432

Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"

"Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa"
Trata-se, actualmente, de poder começar a fabricar uma comunidade dos países de língua portuguesa, política essa que tem uma vertente cultural e uma outra, muito importante, económica.

A direita me considera como da esquerda; esta como sendo eu inclinado à direita; o centro me tem por inexistente. Devo estar certo.


Agostinho da Silva

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

RTP África e RTP Internacional são «projectos âncora» para lusofonia

O secretário de Estado adjunto do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares disse hoje à Lusa que os canais Internacional e África da RTP são «projetos âncora» para a lusofonia e foram discutidos com a CPLP.

Feliciano Barreiras Duarte encontrou-se hoje em Lisboa com o secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Isaac Muragy, com quem abordou, entre vários assuntos, a questão da comunicação social no espaço da lusofonia e em particular, o futuro da RTP.
«Falámos sobre algumas preocupações que existem no futuro da RTP Internacional, RTP África - que são projetos âncora para a CPLP - e ficámos de voltar a falar, porque eu estou a preparar em nome do Governo um pacote político e legislativo para esta área da comunicação social», disse Feliciano Barreiras Duarte à Agência Lusa, referindo que os cerca de 20 diplomas vão ser anunciados nas próximas semanas.
No contexto da comunicação social, os cortes orçamentais anunciados para a agência Lusa, com delegações e jornalistas nos países da CPLP, não foram discutidos na reunião que se prolongou durante cerca de uma hora.
«Não se falou sobre a Agência Lusa mas não tenho dúvidas que aquando da aprovação desse pacote vamos ter oportunidade de falar até porque a Agência Lusa é dos instrumentos mais importantes para o conhecimento de toda a realidade lusófona», adiantou.
Barreiras Duarte salientou que «a Agência Lusa tem cumprido de forma extraordinária o seu papel em vários destes países para transmitir não só os valores, neste caso concreto de Portugal, mas acima de tudo permitir a troca de informação, que é importantíssima, não só do ponto de vista político, mas económico e empresarial», disse o secretário de Estado.
Questionado sobre se os cortes anunciados podem pôr em causa o papel da Lusa na referida «realidade lusófona», o secretário de Estado respondeu que não queria falar do assunto.
Além da RTP, o secretário executivo da CPLP e o secretário de Estado adjunto do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares abordaram ainda o projetoem Timor Lesteapoiado pela Comissão Europeia que tem em vista aprofundar a Liberdade de Imprensa e a liberdade de opinião.
De acordo com Feliciano Barreiras Duarte, o projeto timorense pretende dar oportunidade a que a comunicação social do país «se assuma como um instrumento importante da promoção da democracia» para que a República Democrática de Timor Leste se possa assumir, afirmou, como um «Estado de Direito de corpo inteiro».
Diário Digital com Lusa

Sem comentários: